Jornalista que fez entrevista sobre casos de corrupção foi morta na Bulgária

Após fazer entrevistas sobre corrupção que envolviam fundos da União Europeia, a jornalista búlgara Viktoria Marinova foi encontrada morta em Ruse, norte do país. De acordo com a  imprensa, ela teria sido vítima de um assassinato que está provocando indignação no país, conforme informações da Justiça.

O corpo de Marinova, responsável administrativa e apresentadora da TVN Ruse, foi encontrado em um parque da cidade no sábado (6). Segundo o Ministério do Interior, a jornalista recebeu um golpe na cabeça, foi violentada sexualmente e estrangulada.

 Investigadores  estão analisando todas as suspeitas , desde à sua vida pessoal como à profissional.  No último programa, em 30 de setembro, a jornalista entrevistou dois jornalistas investigativos que estão apurando possíveis fraudes nos subsídios da União Europeia (UE), que envolveriam empresários e cargos eleitos do país.

Os dois foram detidos e interrogados pela polícia durante a investigação do assassinato, e o caso foi condenado pela ONG Repórteres Sem Fronteiras (RSF). Nesta segunda-feira (8), a Comissão Europeia pressionou a Bulgária  a conduzir uma rápida investigação sobre o caso. “Não há democracia sem imprensa livre. Esperamos uma investigação ligeira e meticulosa para levar os responsáveis à justiça”, afirmou um tuíte da comissão.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.