IF cinéma à la carte “Festival de Cannes” – De 10 de maio a 10 de junho 2021

No decorrer deste ano, o Institut Français realiza o IF cinéma à la carte, uma mostra online gratuita de filmes franceses legendados em português e organizados em temáticas mensais.

Na programação de maio, dois longas-metragens que marcaram presença na mostra “Un Certain Regard” do Festival de Cannes estarão disponíveis na plataforma entre os dias 10.05 e 10.06. Os filmes podem ser assistidos por streaming, no site: https://ifcinema.institutfrancais.com/fr/streaming/alacarte

O primeiro longa-metragem, Run (2013), é uma coprodução Costa do Marfim-França, assinada pelo diretor Philippe Lacôte que participou da mostra “Un certain regard” em 2014. Run, que conta a história de um homem que mata o primeiro ministro de seu país e tem que lidar com as decisões tomadas ao longo da sua vida, é o primeiro longa-metragem de ficção do diretor e a primeira obra da Costa do Marfim a ser selecionada em Cannes.

Já Barbara (2017) esteve presente na mostra de 2017, onde o renomado ator e cineasta Mathieu Amalric, que assina a direção, recebeu “Un Certain Regard – Prêmio da poesia do cinema”. O longa-metragem é uma obra metalinguística em homenagem à ilustre cantora francesa Barbara. Estrelado por Jeanne Balibar, o filme foi também ganhador de dois César na 43º edição da premiação (César de Melhor Atriz e de Melhor Som).

Realizada pelo Institut Français com apoio da Cinemateca da Embaixada da França, IF cinéma à la carte é uma mostra inteiramente online e 100% gratuita que tem como principal intuito a celebração da diversidade e vitalidade do cinema francês e francófono, de forma totalmente acessível a todos os públicos!

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.