Governo do Azerbaijão repudia ato de presidente americano Joe Biden sobre a Armênia

Declaração do ministério de Relações Exteriores do Azerbaijão:

É lamentável que a declaração do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, no Dia da Memória da Armênia distorceu os fatos históricos sobre os eventos de 1915.

Aqueles que politizam o chamado “genocídio armênio” silenciam o massacre de mais de 500.000 pessoas feitos por grupos armados armênios naquela época, bem como os massacres cometidos por Dashnaks armênios em Baku e outras regiões do Azerbaijão em março de 1918.

Embora deturpe os eventos que aconteceram 100 anos atrás, o fracasso em dar uma avaliação justa do genocídio cometido pela Armênia contra os azerbaijaneses em Khojaly, 30 anos atrás, é um exemplo de preconceito e padrões duplos.

Os eventos de 1915 devem ser estudados por historiadores, não por políticos. No entanto, como se sabe, a Armênia quer encobrir os acontecimentos e tentar se apresentar como um país oprimido, e não aceitou a proposta da Turquia de investigar os acontecimentos daquele período por uma comissão histórica conjunta.

A falsificação da história, as tentativas de “reescrever a história” e seu uso para pressão política são inaceitáveis.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.