Ex-ministro diz que Catar absorverá crise da covid-19

Mohammed bin Saleh Al Sada, que foi ministro da Energia e Indústria do país árabe, afirmou que economia robusta e pacote de estímulo de US$ 20,6 bilhões farão com que país administre choque da pandemia. Ele acredita em crescimento substancial por demanda de gás no mundo nos próximos anos.

São Paulo – A política econômica do Catar, baseado em um sistema robusto, e o pacote de estímulo de US$ 20,6 bilhões voltado ao setor privado farão com que o país árabe absorva o choque que está ocorrendo no mundo em função da pandemia do coronavírus. Foi o que disse nesta semana o ex-ministro da Energia e Indústria do Catar, Mohammed bin Saleh Al Sada, em seminário online da Qatar Foundation, da qual é membro do conselho de administração.

No mês passado, o Catar anunciou pacote de estímulo no valor de 75 bilhões de riais, o equivalente a US$ 20,6 bilhões, para ajudar o setor privado durante a pandemia. Também como parte das medidas para combater a crise, os fundos ligados ao governo foram orientados a aumentar seus investimentos em 10 bilhões de riais (US$ 2,7 bilhões) na bolsa de valores local. Alimentos e produtos médicos foram isentos de taxas para entrar no país por seis meses.

Al Sada afirmou esperar que em 2021 a economia do Catar ultrapasse 3% de crescimento. Ele acredita que haverá recuperação especialmente no setor de serviços em função da Copa do Mundo 2022, que o país receberá em dois anos. “Nosso desemprego é quase zero, o que é inédito na maioria dos países, então sinto que nossa economia administrará (a crise)”, disse.

Ele lembrou que o país adotou várias medidas já no começo da pandemia do coronavírus e que as classificações de créditos mais recentes, tanto da agência de risco Standard & Poor (S&P) quanto da Moody’s, indicam que a economia do Catar é sólida e capaz de suportar choques. O país é o principal exportador mundial de gás natural liquefeito (GNL), respondendo por um terço das exportações globais. O preço dos hidrocarbonetos caiu significativamente este ano.

Sada afirmou que salvar o setor de petróleo e gás é muito importante para salvar a economia global, mitigar o impacto da recessão mundial e evitar que ela se torne depressão global. O ex-ministro acredita que o equilíbrio entre a oferta e a demanda por gás ocorrerá entre 2024 e 2025. “A curva de consumo e a demanda estão aumentando mais do que qualquer outra forma de energia”, disse. O Catar anunciou a expansão da capacidade de produzir GNL em 64% até 2027.

*Com informações do jornal The Peninsula, do Catar.

Fonte: ANBA

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.