EUA estabelecem nova abordagem para proteger a saúde dos passageiros internacionais e dos norte-americanos entrando no país

 A nota emitida pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), no dia 9 de setembro, e a nova regulação do Departamento de Segurança Nacional dos EUA (DHS), prevista para publicação no registro federal dos EUA no dia 14 de setembro, visam adotar uma nova abordagem para manter e proteger a saúde dos passageiros internacionais e dos norte-americanos. A nota do CDC e a publicação do DHS não alteram quem é permitido entrar nos EUA sob proclamação presidencial.

As novas medidas serão implementadas no dia 14 de setembro de 2020 e incluirão, entre elas, a interrupção de triagem de saúde aos que chegam de certos países, incluindo o Brasil. O CDC continua recomendando que os viajantes internacionais entrem em quarentena por 14 dias quando viajam de áreas de alto risco. 

A partir dessa data, o governo dos EUA removerá os requisitos para direcionar todos os voos que transportam passageiros de companhias aéreas que chegam ou recentemente tiveram presença em alguns países, incluindo o Brasil, para pousar em um dos 15 aeroportos designados. 

Em maio de 2020, o presidente Trump proclamou uma restrição de entrada para estrangeiros que estiveram no Brasil por 14 dias antes de entrar nos EUA. Essa restrição não se aplica a cidadãos norte-americanos, residentes permanentes legais (portadores de green card), familiares imediatos de cidadãos norte-americanos e residentes permanentes legais e categorias específicas. Lista das categorias isentashttps://br.usembassy.gov/pt/informativo-proclamacao-presidencial-que-restringe-as-viagens-de-estrangeiros-vindos-do-brasil-para-os-eua-incluindo-brasileiros/ 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.