Entrevista exclusiva com o Embaixador do Uruguai no Brasil explica sobre projetos de cooperação entre os dois países e projetos culturais em Brasília – 2018

Conversamos com o Embaixador Gustavo Vaneiro, diplomata de carreira e récem chegado ao Brasil,falamos sobre temas importantes e novos projetos,Confira os tópicos abordados:

1. Projetos de cooperação entre Uruguai e Brasil:

No programa anterior de cooperação técnica bilateral, os projetos a salientar se referem a recursos hídricos, saúde, meteorología, formação profissional, vigilância sanitária e comunicação. Atualmente, existem vários projetos de cooperação nas áreas de agua e saneamento, planejamento e gestão urbana, acesso a recursos genéticos, áreas marinas protegidas, educação audio visual, afrodescendientes na formação de professores e educação profissional e tecnológica. O projeto “Monitoreo de Recursos Hídricos das Bacias Hidrográficas das Lagoas Mirim e Quaraí” do programa anterior, foi trasladado ao presente acordo e continúa em execusão. Os projetos atuais de cooperação foram acordados na última reunião da Comissão Bilateral de Cooperação Técnica que aconteceu em março passado no Uruguai.

Uruguai e Brasil também possuem projetos de cooperação em infraestrutura, principalmente nas áreas fronteirizas de ambos países. São destacados os projetos no Aeroporto de Rivera, situado na zona fronteiriza do lado uruguaio, com a ideia de torná-lo binacional, e com capacidade para aviões de maior porte. Ademais, os acordos feitos para a construção de uma nova ponte moderna e funcional sobre o Rio Yaguarão são muito importantes para ambos países, além da manutenção da ponte histórica “Barão de Maúa”.

Entre outros assuntos, são salientados os projetos de infraestrutura na Lagoa Mirim e a importancia do dragado para a navegação e o transporte de mercadorias que atravessam a Lagoa, além das instalações necessãrias para o embarque e desembarque das barcaças.

2. Projetos culturais em Brasília – 2018

A Embaixada do Uruguai no Brasil terá eventos e atividades culturais variadas em Brasília neste ano. Participará junto com a Embaixadas da América Latina e o Caribe no Primeiro Festival de Cinema dessa região, no Cine Brasília, entre os dias 24 e 31 de maio. O filme a apresentar pelo Uruguai será a Comédia “3”, um filme para toda a família, do Diretor Pablo Stoll.

Ademais, participará junto com o escritor uruguaio de fronteira, Fabián Severo, na 34º Edição da Feira do Livro de Brasília, em junho, no Shopping Pátio Brasil.

Outros projetos incluem atividades com o Maestro Cláudio Cohen e a Orquesta Sinfónica de Brasília, a realização de uma amostra fotográfica com artistas uruguaios, participação do Festival Lobo Fest com um filme uruguaio e uma palestra de um Diretor uruguaio de cinema. Finalmente, a participação da Embaixada na 4ª Bienal do Livro e da Leitura, entre os dias 16 e 27 de agosto.

3. Mecanismos usados para a importação e exportação entre ambos países, como autorizações, ANVISA e outros trámites

No comércio intra-MERCOSUR não existem restrições de tarifas alfandegárias, com basicamente 0% de taxa em todos os produtos. Porém, existem algunas restrições vinculadas a reglamentações técnicas (SPS) com fins de políticas públicas, que em alguns casos se constituem como medidas legítimas e em outros, como medidas protecionistas.

Além disso, a livre circulação de bens e serviços foi estabelecida entre os países do Mercosul, mas ainda são requeridos alguns ajustes para sua completa implementação.

Persiste ainda o uso de mecanismos antidumping dentro do Mercosul que atuam como forma protecionista.

4. Projetos para estudantes estudar em ambos países

De acordo com a Universidade da República, para que um estudante estrangeiro possa estudar nela, deve cumprir os seguintes requisitos:

1. Revalidar os estudos secundários cursados; e

2. Encontrar-se em alguma das situações descritas em baixo:

Ter interrompido seus estudos no país da origem por razões de perseguição política, ideológica, religiosa, sindical ou racial;

Estar compreendido em algum dos casos citados no parágrafo segundo do artigo 2° da Instrução Normativa sobre revalida de títulos e certificados de estudo;

Comprovar residência no Uruguai de pelo menos três anos. Ter sido trasladado ao Uruguai como consequência necessária da instalação no país do núcleo familiar direto do solicitante; e finalmente

Excepcionalmente o Conselho Diretivo Central da Universidade pode admitir o ingresso de estudantes não compreendidos nos casos anteriores.

Além disso, algumas Universidades brasileiras têm Convênios vigentes com a Universidade da República, como por exemplo: Universidade de São Paulo, Universidad Federal de Minas Gerais, Universidad Estadual de Río de Janeiro, entre outras.

5. Considerações sobre a relação bilateral e os planos para o futuro

A relação bilateral do Uruguai com o Brasil é essencial para o país. Os dois países mantêm uma parceria natural. A importância se baseia nos fortes vínculos comerciais, políticos, culturais e históricos que o país tem com seu vizinho. Não pode se esquecer de falar que, ademais, são relações muito complexas pela variedade e quantidade de assuntos envolvidos.

Entre ambos países temos uma faixa fronteiriza que não é entendida como uma divisão se não como uma zona de integração, intercâmbio e pleno convívio entre as duas culturas. A promoção de maior desenvolvimento nessa região é responsabilidade e interesse de ambos países e nesse sentido, mais investimentos em infraestrutura são necessários, com fim de acelerar o crescimento econômico regional.

Outro desafios se referem aos intercâmbios comerciais, para seu incremento e consolidação é requerido aprofundar as interrelações entre agentes privados. Os fluxos de investimentos e o comércio de serviços são cada vez mais importantes e deverão também ser consolidados entre ambos países.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.