Entrevista com o embaixador do Egito no Brasil Wael Aboulmagd

Hoje, 23 de julho, é celebrada a Data Nacional egipcia. Todos os anos uma bela recepção é realizada nos jardins da embaixada. No entanto , devido a pandemia da Covid-19, este ano não haverá celebração no Brasil. Mas o embaixador do país árabe no Brasil, concedeu uma entrevista exclusiva á editora-chefe do site, Fabiana Ceyhan.

Sobre a Covid-19

Ainda estamos enfrentando a pandemia. Estamos melhores do que algumas semanas atrás. O governo usou formas eficientes de lidar com isso. Durante um período estivemos em um lockdown completo. Mas agora já passamos pra outra fase. Alguns pontos turísticos já estão prontos pra abrir. Não nas grandes cidades, mas na parte costeira , e locais para mergulho .

Wael Aboulmagd – embaixador do Egito no Brasil

Tivemos aproximadamente 4 mil mortes no Egito, lamentamos cada vida perdida e assim como todo o mundo também fomos muito afetados economicamente. Mas como mencionei, o governo lidou de uma forma eficiente e gradualmente os números estão caindo. A solução agora é o uso de máscaras e o distanciamento social para prevenir, usando essas restrições, estamos voltando ao normal aos poucos até a vacina chegar.

Consulta política:

A relação com o Brasil é enorme e muito importante. Somos duas grandes populações. Nossas relações bilaterais começaram há muitos anos e são bastante sólidas. O Egito tem uma população menor, mas considerada grande no mundo árabe. Um em cada 4 árabes, é egipcio. São cerca de 102 milhões de habitantes. Brasil e Egito têm grande influência em suas regiões. Teremos uma consulta política na próxima semana , O encontro seria no Cairo, de forma presencial, isso já havia sido decidido no início do ano, mas de acordo com a situação que não era prevista, foi decidido por um encontro de forma virtual.

Estamos trabalhando nas 3 agendas:

Seção bilateral: Trade, Investimento, Turismo

Nesta reunião de consultas, os dois lados mostram os seus interesses em acordos , que pode envolver também outros Ministérios, de acordo com o teor das negociações e temas a serem tratados.As questões não ficam apenas restritas ao Ministério de Relações Exteriores( Itamaraty), como mencionei, outros orgãos governamentais também participam.

Seção regional( acordos políticos: neste caso são tratados assuntos multilaterais como direitos humanos, armamento e outros.

Uma das partes de nossos dialógos é o processo de paz entre Israel e Palestina, essa questão entra na parte das discussões regionais, é importante para o mundo árabe, para o mundo muçulmano e é importante para a o acordo de paz. Para nós é importante pois sabemos que o Brasil não está diretamente envolvido, então como diplomata, eu converso com o meus colegas brasileiros mencionando a convenção de Geneva e a necessidade de um processo de paz , baseado nas resoluções da ONU e nas leis internacionais. O egito está diretamente envolvido, por ser um apaís da região e por manter realações diplomáticas com Israel e Palestina.

Data Nacional do Egito:

Neste ano não haverá nenhuma celebração, tradicionalmente gostaríamos de convidar todos os nossos amigos mas esperamos fazer uma festa maior ainda no próximo ano.

Qual a data comemorada em 23 de Julho?

O Egito saiu da Monarquia e se tornou republica em 23 de julho de 1952, desde então esta data é amplamente comemorada em nosso país.

Ainda existe uma família real?

O rei foi exilado e foi para Itália , no ano de 1952, mas os descendentes sempre retornam ao Egito para visitas.

Fale mais um pouco, por gentileza sobre as relações Brasil- Egito:

Em nossas relações bilaterais gostamos também de mencionar a arte, música, literatura, filmes. Somos uma indústria de cinema muito antiga . Com mais de 100 anos. somos uma sociedade muito criativa. Temos muito para mostrar ao mundo.

Em breve também estaremos com um voo da Egypt Air entre são paulo e Cairo que estava previsto para ser lançado agora, mas com a situação atual, será iniciado assim que possível.

Criamos as vezes um estereotipo superficial sobre os países, imaginamos como são, mas para saber como tudo funciona de verdade, é preciso conhecer. Para mim, a cultura é uma parte importante das relações bilaterais, pois ela aproxima as pessoas, e eu gostaria que as pessoas conhecessem melhor o Egito e gostaria que os egipcios também conhecessem melhor o Brasil e os brasileiros. Somos parecidos, pessoas que sorriem e de um comportamento caloroso.

-Arte, cultura, literatura são muito importantes pra nós. A indústria cinematográfica, que mencionei antes, já foi a segunda fonte de renda do país, no passado.Os filmes são muito importantes. O escritor egipcio Nagib Mahfouz, ganhou um prêmio Nobel de literatura pela sua forma única de relatar sobre os arredores da cidade do Cairo .

Um kalthoum também é uma das cantoras egipcias mais conhecidas do mundo .Os concertos dela em Paris ficavam lotados. A minha ideia é essa, que os brasileiros conheçam melhor a nossa cultura em geral e que os egipcios conheçam o Brasil também. Temos muitas coisas interessantes além da nossa herança histórica e das pirâmides, que obviamente são fantásticas, mas temos também outros aspectos muito interessantes em nosso país. Reitero que os laços entre Brasil e Egito são históricos.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.