Embaixador dos EUA na Rússia afirmou hoje que está voltando para Washington

Após duras sanções, os dois países estão sob tensões diplomáticas.

John Sullivan, atual embaixador dos Estados Unidos na Rússia, confirmou hoje (20), segundo a imprensa internacional que está retornando para Washington para conversar com o presidente Joe Biden e membros do Departamento de Estado, Na diplomacia , o termo usado seria “consultas”. Os dois países estão com problemas diplomáticos devido a recentes sanções que acabaram por influenciar outros países como a República Tcheca e Polônia que também expulsaram diplomatas russos de seus territórios. A Rússia disse estarem tentando agradar os EUA na ocasião.

Foto: EPA / Ansa – BrasilJohn Sullivan voltará aos EUA para debater relação bilateral com governo Biden

“Acredito que seja importante conversar diretamente com os meus novos colegas da administração Biden sobre o estado atual das relações bilaterais entre Estados Unidos e Rússia. Voltarei para Moscou nas próximas semanas, antes de um encontro entre Biden e Putin”, disse Sullivan à agência local de notícias

fontes jornalísticas internacionais afirmam que a volta do embaixador havia sido uma sugestão pelo governo russo após a série de sanções impostas pelos norte-americanos na última semana.

Washington anunciou uma severa sanção econômica, proibindo que instituições financeiras do país comprem títulos da dívida russa, além da expulsão de 10 diplomatas. A Rússia nega as acusações e após o acontecido também impôs sanções políticas, expulsando 10 diplomatas e proibindo que membros do alto escalão do governo, como os secretários de Justiça, de Segurança Nacional, e os chefes do FBI, Christopher Wray e da Inteligência, Avril Haines, entrem na Rússia. Fontes também afirmam que o diplomata tentará amenizar tensões, conversando com Joe Biden.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.