Embaixada de Bangladesh comemora a data nacional do país no Brasilia Imperial Hotel

Bangladesh celebrou ontem(26), a Data Nacional do país, em seu discurso o ministro do Itamaraty Ary Quintella  falou sobre a sua visita ao país em 2017 que segundo ele é muito rico em manifestações culturais com um povo muito acolhedor e diversas belezas naturais .O Brasil estabeleceu relações diplomáticas com o Bangladesh em 1972 e, no ano seguinte, foi aberta a Embaixada bengalesa em Brasília. Ocorrida em 1974, a instalação da Embaixada do Brasil em Daca – a primeira de um país latino-americano em Bangladesh – contribuiu para a aproximação política entre os dois países.

 

Cooperação nos fóruns internacionais

Em 2013, Bangladesh procurou apoio brasileiro para a sua candidatura ao Conselho de Direitos Humanos em 2015 e assento não-permanente no Conselho de Segurança da ONU para o prazo 2016-17. Em 2014, o Brasil garantiu o seu apoio para o Bangladesh para os cargos de Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas e da CEDAW(Convenção sobre a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra a Mulher). O Bangladesh também apoiou a candidatura do Brasil para o cargo de Diretor-geral da Organização Mundial do Comércio. O Brasil têm dado ajuda de US$3 milhões para o Bangladesh para gestão de desastres.

Cooperação na cultura, educação e agricultura

Em 2011, o Brasil propôs a assinatura de um acordo de cooperação em vários setores potenciais, incluindo a agricultura, saúde, educação e esportes.[5] Em 2014, o Brasil expressou interesse na extensão da cooperação com o Bangladesh para o desenvolvimento da agricultura.[3]

Relações econômicas

O comércio bilateral entre os dois países foi de US$700 milhões em 2013. O principal produto de exportação do Brasil para o Bangladesh incluem produtos agrícolas como o açúcar.[6] já o Bangladesh tem exportado juta, produtos de vestuário e produtos farmacêuticos

                

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.