Embaixada: Governo alemão pede a seus cidadãos que estão no Brasil que retornem ao país

Em Texto na Página da Embaixada o Governo informa os vôos ainda disponíveis do Brasil para a Alemanha

O Governo Federal da Alemanha aconselha fortemente os turistas que ainda estão no exterior a retornarem à Alemanha enquanto ainda houver opções de viagem.

As seguintes conexões do Brasil para a Europa ainda estão disponíveis no momento:

Lufthansa – São Paulo para Frankfurt: 2.4., 4.4. e 6.4.2020 às 18h15. KLM / Air France – São Paulo para Amsterdã / Paris: 3.4. e 6.4.2020 às 02:55; Rio de Janeiro a Paris: 8 de abril. e 15.4.2020 22:00 Alitalia – São Paulo a Roma: 2.4. às 14:35 TAP – de São Paulo a Lisboa: 1.4. às 16h45

Em algumas dessas conexões, há um grande número de assentos vazios e, às vezes, as reservas só podem ser feitas através da linha direta da companhia aérea. Pode ser necessário reservar um voo separado com uma das companhias aéreas brasileiras mencionadas abaixo.

De acordo com um acordo entre a autoridade de aviação civil brasileira e as companhias aéreas Latam, Gol e Azul, é garantido em abril que as conexões regulares de vôos para o resto do país permanecerão nas capitais de todos os estados brasileiros e em outras 19 cidades brasileiras.

Por favor, consulte as páginas de reserva das companhias aéreas indicadas para obter mais informações. Observe que em alguns países europeus sem um vôo de conexão direta para a Alemanha, as medidas de quarentena se aplicam e informe-se antes de reservar sobre as condições aplicáveis ​​no país de trânsito.

Segue o link do texto em Alemão: Tradução Fabiana Ceyhan

https://brasil.diplo.de/br-de/aktuelles/-/2328808?fbclid=IwAR1z2wjt6EDQ6H6itR0At46x_6nQDBYsu-sQBC5DoSlNaC9r7NfPofmHxCs
Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.