Embaixada americana em Brasilia comemora a chegada do Homem a lua

Brasília  não vai ficar de fora das comemorações dos 50 anos da chegada do homem à Lua com a missão Apollo 11. Diversos eventos, organizados pelos Correios e pela Embaixada e Consulados dos Estados Unidos no Brasil vão celebrar a data em que os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins pisaram na superfície lunar.  Palestras, apresentação de filmes, exposições e também o lançamento de um selo comemorativo vão acontecer em Brasília, Belo Horizonte,  Rio de janeiro, Porto Alegre e  São Paulo.

O selo comemorativo sobre a jornada do homem à Lua trará um recorte da clássica foto, cedida pela NASA, de uma pegada deixada na Lua representando simbolicamente a famosa frase de Neil Armstrong: “Um pequeno passo para um homem, um salto gigante para a humanidade”.

De acordo com o encarregado de Negócios da Embaixada e Consulados dos EUA, William Popp, o objetivo é fomentar o interesse pela ciência, tecnologia, engenharia e matemática: “A nossa expectativa é compartilhar essa experiência histórica com as novas gerações, incentivando maior curiosidade pela área científica”, disse.

A programação em Brasília prevê uma série de atividades como palestras e mesas-redondas,  com a astronauta e primeira mãe no espaço, Anna Fisher, que falará sobre seu período trabalhando na agência espacial estadunidense, a NASA, e o impacto das mulheres nos campos da ciência, tecnologia, engenharia e matemática. No dia 31 de julho, o encarregado de Negócios, William Popp, o ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Marcos Pontes, e o presidente dos Correios, Floriano Peixoto, farão o lançamento do selo comemorativo da chegada do homem à Lua no Planetário.

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.