Declaração do Ministério das Relações Exteriores da República do Azerbaijão sobre 27 de setembro – Dia de Comemoração na República do Azerbaijão

Hoje, um ano atrás, as Forças Armadas da República do Azerbaijão iniciaram com medidas de resposta para conter outra provocação militar das Forças Armadas da República da Armênia

Essas medidas foram realizadas no âmbito do direito à legítima defesa. Eles estavam em total conformidade com o Direito Internacional Humanitário, de modo a evitar outra agressão militar da Armênia e para garantir a segurança da população civil. Isso marcou o início da Guerra Patriótica de 44 dias.

A Guerra Patriótica pôs fim à política de agressão de quase 30 anos da Armênia. O Azerbaijão garantiu sua integridade territorial e os direitos fundamentais de quase um milhão de deslocados azerbaijaneses foram restaurados. O Azerbaijão, por si só, garantiu a implementação das resoluções relevantes do Conselho de Segurança da ONU de 1993.

O fim da ocupação dos territórios do Azerbaijão revelou toda a extensão das atividades ilegais realizadas pela Armênia durante décadas. Isso inclui extensa mineração; a destruição deliberada e apropriação indébita do patrimônio histórico, cultural e religioso do Azerbaijão; exploração de recursos naturais; destruição de infraestrutura; e outras violações do direito internacional. Evidências dos numerosos crimes de guerra da Armênia também foram reveladas. A fim de responsabilizar a Armênia por suas violações do direito internacional humanitário e dos direitos humanos, o Azerbaijão entrou com ações interestatais contra a Armênia no Tribunal Europeu de Direitos Humanos e no Tribunal Internacional de Justiça.

O Governo do Azerbaijão está realizando trabalhos de restauração e reconstrução nos territórios libertados e tomando medidas consistentes para garantir o retorno seguro e digno de quase um milhão de deslocados azerbaijaneses, bem como a reintegração dessas terras. O Governo, também, está tomando todas as medidas necessárias para garantir paz, segurança e prosperidade duradouras na região, conforme a Declaração Trilateral de 10 de novembro de 2020.

A Guerra Patriótica sob a liderança do Comandante Supremo das Forças Armadas da República do Azerbaijão, Presidente İlham Aliyev, que terminou com a vitória do bravo Exército do Azerbaijão, abriu uma nova era na história da República do Azerbaijão , estabeleceu a justiça internacional e mudou a realidade na região.

O Azerbaijão está pronto para normalizar as relações com a Armênia, com base na estrita observância dos princípios do direito internacional, em particular a soberania, integridade territorial e inviolabilidade das fronteiras internacionais. Pedimos a Armênia para respeitar esses princípios fundamentais com o objetivo de garantir a paz, segurança e prosperidade na região e cumprir com suas obrigações internacionais.

Nós lembramos esta data com profundo respeito e estima à memória de todos os nossos Mártires que morreram pela independência, soberania e integridade territorial do Azerbaijão no dia 27 de setembro, que é celebrado o Dia da Comemoração em nosso país por ordem do Presidente da República do Azerbaijão.


One year ago today, the Armed Forces of the Republic of Azerbaijan began responsive measures to counter another military provocation from the Armed Forces of the Republic of Armenia.

These measures were undertaken within the framework of the right to self-defense. They were in full compliance with the international humanitarian law in order to prevent another military aggression from Armenia, and to provide for the security of the civilian population. This marked the beginning of the 44- day Patriotic War.

The Patriotic War put an end to Armenia’s nearly 30-year-long policy of aggression. Azerbaijan ensured its territorial integrity, and the fundamental rights of nearly one million displaced Azerbaijanis were restored. Azerbaijan, alone ensured the implementation of the relevant UN Security Council resolutions of 1993.

The end of the occupation of the Azerbaijani territories revealed the full extent of the illegal activities undertaken by Armenia for decades. This includes extensive mining; the deliberate destruction and misappropriation of Azerbaijan’s historical, cultural and religious heritage; plundering of natural resources; destruction of infrastructure; and other violations of international law. Evidence of Armenia’s numerous war crimes was also revealed. In order to hold Armenia accountable for its breaches of international humanitarian and human rights law, Azerbaijan filed inter-state applications against Armenia in the European Court of Human Rights and International Court of Justice.

The Government of Azerbaijan is carrying out restoration and reconstruction works in the liberated territories and taking consistent steps to ensure the safe and dignified return of nearly one million of displaced Azerbaijanis, as well as the reintegration of these lands. The Government is also taking all necessary measures to ensure lasting peace, security and prosperity in the region in accordance with the Trilateral Statement of November 10, 2020.

The Patriotic War under the leadership of the Supreme Commander-in-Chief of the Armed Forces of the Republic of Azerbaijan, President İlham Aliyev that ended with a victory of the brave Azerbaijani Army, opened a new era in the history of the Republic of Azerbaijan, established international justice and changed the realities in the region.

Azerbaijan is ready to normalize relations with Armenia, on the basis of strict observance of the principles of the international law, in particular sovereignty, territorial integrity and inviolability of international borders. We call on Armenia to respect these fundamental principles to ensure peace, security and prosperity in the region and comply with its international obligations.

We commemorate with deep respect and esteem the memory of all our Martyrs who died for the independence, sovereignty and territorial integrity of Azerbaijan on September 27, which is celebrated as the Commemoration Day in our country by the order of the President of the Republic of Azerbaijan.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.