COP26 é concluída com novo acordo global sobre clima

A conferência das Nações Unidas sobre as mudanças climáticas foi concluída no sábado após um dia de prorrogação, com negociadores concordando com um novo pacto global para combater as mudanças climáticas.

Cerca de 200 países participantes adotaram o Pacto Climático de Glasgow no final da 26ª sessão da Conferência das Partes (COP26) para a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas.

Alguns progressos encorajadores foram feitos. Um acordo foi finalmente atingido sobre o 6º artigo do Acordo de Paris, que diz respeito aos mecanismos do mercado de carbono, abrindo caminho para uma implementação efetiva do Acordo de Paris para reduzir as emissões por meio de abordagens baseadas no mercado.

Os negociadores também concordaram em reduzir gradualmente o carvão, a fonte dominante de emissões de dióxido de carbono no processo de geração de eletricidade. É a primeira menção explícita de combustíveis fósseis em um acordo COP.

Durante a COP26, mais de 100 países prometeram acabar com o desmatamento até 2030.

Nos últimos dias da conferência, a China e os Estados Unidos emitiram uma declaração conjunta sobre o aprimoramento das ações sobre as mudanças climáticas na década de 2020, que são amplamente bem-vindas e acredita-se que galvanizam as ações coletivas globais.

Os dois países concordaram em estabelecer um grupo de trabalho para melhorar a ação climática nesta década para promover a cooperação sobre as mudanças climáticas entre os dois países, bem como processos multilaterais.

Como a COP26 terminou, no entanto, algumas questões persistentes, notadamente o financiamento climático, permanecem incertas.

Havia compromissos de aumentar significativamente o apoio financeiro através do Fundo de Adaptação, uma vez que os países desenvolvidos foram instados a dobrar seu apoio aos países em desenvolvimento até 2025.

No entanto, resta saber se os países desenvolvidos, cujo desenvolvimento é responsável pela maioria dos impactos atuais das mudanças climáticas, prestarão atenção ao prazo estabelecido.

Em 2009, os países ricos prometeram US$ 100 bilhões por ano para ajudar as nações de baixa renda até 2020. No entanto, eles ainda não cumpriram a promessa e relatórios recentes indicam que essa meta pode cair para 2023.

A COP26, que começou em 31 de outubro, é a primeira conferência sobre as mudanças climáticas após o ciclo de revisão de cinco anos sob o Acordo de Paris, firmado em 2015. A cidade egípcia de Sharm El Sheikh sediará a COP27 em 2022.

Fonte: Xinhua

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.