Confira as atividades do Projeto Àfrica -LBV

CRIANÇAS DA LBV APRENDEM SOBRE A CULTURA NEGRA

Começou com uma história dos negros que foram trazidos ao Brasil para servirem de mão de obra escrava no tempo da colonização do Brasil, até chegar numa animada roda de capoeira que reuniu os integrantes do grupo Beribazu e também a garotada atendida pela Legião da Boa Vontade (LBV) na Escola de Educação Infantil Alziro Zarur, mantida pela Instituição em Taguatinga. E essa é só a primeira parada das celebrações do Dia da Abolição da Escravatura que vivenciamos nas Unidades da Instituição no Distrito Federal.

Para conhecer um pouco da história de forma lúdica, o encontro cultural foi no parquinho da escola com interpretação e o canto, acompanhado de berimbau, caxixi, atabaque, pandeiros e os sons da natureza ali presentes.

Quem conta sobre a atividade é Rosy Costa, integrante do grupo de capoeira Beribazu e voluntária da LBV: “Nós fizemos uma apresentação, um pout pourri da história do negro no Brasil, desde a época da escravidão até agora, que a capoeira está dentro das escolas. A gente fez algumas passagens dessa história, justamente para as crianças fixarem isso daí e começarem a valorizar desde agora de onde veio a capoeira, porque eles treinam capoeira, porque a gente está dentro do colégio hoje, porque a capoeira é tão importante para eles, isso foi bem legal!”.

O grupo Beribazu há um ano desenvolve um trabalho voluntário semanal com todas as crianças atendidas pela LBV, levando a capoeira para a Escola e colaborando no desenvolvimento da garotada de diferentes maneiras, como conta Rosy: “A parte lúdica, da musicalidade, a gente trabalha a questão da força da criança, do equilíbrio, da coordenação motora, a fala, então a criança, desse tamanho, sendo introduzida dentro da nossa cultura e da arte, ela desenvolve muito mais rápido vários aspectos da vida dela, graças à capoeira hoje estar aqui”.

Alex Mejia, também integrante do grupo e voluntário na LBV, complementa: “Quando a gente chega aqui eles estão de um jeito, as vezes um pouco agitados, quando a gente coloca eles para ter esse contato, a partir dessa atividade ele já fica mais tranquilo, aprende a socializar melhor com as outras crianças. É muito gratificante estar aqui”.

A ação se une ao projeto África, desenvolvido com a garotada atendida pela Instituição, e também tem um importante papel na questão da valorização e reconhecimento da importância de uma das matrizes da formação cultural do Brasil. A professora Elvira Izídio explica sobre a iniciativa: “A projeto África visa trabalhar a cultura em geral, a cultura negra, a cultura africana. Nós trabalhamos histórias, a música, a questão do comer, e o contar: contamos histórias da África, e com isso a cultura brasileira envolvida e tudo o que a cultura africana representa para o Brasil”.

PAINEL ‘A EVOLUÇÃO DA HUMANIDADE’ E REPRESENTATIVIDADE

No período da tarde, foi a vez de as crianças atendidas pelo Centro Comunitário de Assistência Social da LBV vivenciarem através de uma aula sobre a contribuição evolutiva dos negros para a humanidade. O bate papo aconteceu no Salão Nobre do Templo da Boa Vontade, monumento eleito uma das Sete Maravilhas de Brasília, em que os visitantes têm a oportunidade de vivenciar momentos de paz e reflexão, em que a cultura, a arte e a ecologia estão lado a lado com a Espiritualidade Ecumênica, em todos os seus ambientes. Sob o comando do professor Nelson Fernando Inocêncio da Silva, do Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros da Universidade de Brasília (UnB), elas puderam conhecer um pouco mais sobre as personalidades negras retratadas no Painel ‘A Evolução da Humanidade’.

Para o professor universitário que topou o desafio de conversar com as crianças que tem entre 6 e 12 anos, o Painel é uma mostra que o desenvolvimento depende de todos: “É importante isso: entender que o desenvolvimento da humanidade depende dos seres humanos, independente do seu pertencimento racial, independente da sua condição de gênero, orientação religiosa, sexual, os seres humanos contribuem. E esse interesse pela diversidade humana é fundamental. Nós temos aqui pessoas não somente ocidentais, mas orientais, mulheres, homens, negros, brancos, asiáticos, isso é pedagógico, é didático mostrar que o mundo todo trabalho para o desenvolvimento da humanidade, isso é fundamental”.

Para ele, essa e outras ações que propiciam o despertar da consciência são essencial: “É disso que o mundo precisa: informação. A pessoa desinformada ela está mais vulnerável do que qualquer outra. A informação nos fortalece, empodera, e isso é fundamental”.

Sobre a experiência, comentou: “É um esforço muito grande, trabalhar com o público infantil é sempre um grande desafio, conversar com os meninos e meninas. Se elas [as crianças] lembrarem como um momento positivo na vida delas, tiveram a oportunidade de aprender um pouco sobre as personalidades negras, e dei minha contribuição”.

Guilherme Gabriel, de 11 anos, participou da atividade e já escolheu sua personalidade preferida: “O que eu mais gostei foi que aprendemos muito, e eu não conhecia nenhuma dessas pessoas, e fui vendo e conheci bastante. Eu gostei mais do Mandela, da África do Sul, porque ele lutou para melhorar a vida do povo da África”.

Gostou dessa informação e conhecimento que chega para as crianças? Isso só é possível graças ao seu apoio: Por isso, nosso agradecimento!

A LBV acredita no futuro de milhares de crianças e adolescentes, por isso investe neles desde o ventre materno. Todas as atividades desenvolvidas são ricas em experiências lúdicas, culturais, artísticas e esportivas como formas de expressão, interação, aprendizagem, convivência e proteção social. Estas ações propiciam uma formação cidadã, conforme preconiza o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

No Distrito Federal a LBV mantém duas unidades, a Escola de Educação Infantil Alziro Zarur que atualmente, atende 150 crianças entre 3 e 5 anos em período integral e o Comunitário de Assistência Social, que atende diariamente a meninos e meninas com idade entre 6 e 15 anos no contraturno escolar, dentro do programa Criança: Futuro no Presente!, que contribui na prevenção e erradicação do trabalho infantil.

 

A Escola de Educação Infantil da LBV está localizada na Colônia Agrícola Samambaia. Chácara 40 Lote 1 e 2. Telefone: (61) 3410-6025. O Centro Comunitário de Assistência Social, localizado no SGAS 915, lote 74 (ao lado do Templo da Boa Vontade), o telefone para contato é: (61) 3410-6015. As duas unidades também aceitam doações como: brinquedos, livros infantis e alimentos não perecíveis. Saiba mais como ajudar, acessando o site www.lbv.org. Siga a LBV no Facebook (LBVBrasil), no Twitter (@LBVBrasil) e no Instagram (@LBVBrasil).

 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.