China desempenha papel de liderança na defesa do multilateralismo, diz presidente da AGNU

Dennis Francis, presidente da Assembleia Geral da ONU, disse que ações da China são essenciais para manter a cooperação internacional

A China atua como uma força líder na defesa do multilateralismo e na promoção do desenvolvimento sustentável, disse Dennis Francis, presidente da 78ª sessão da Assembleia Geral da ONU (AGNU).

A convite do ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, Francis visitou o país asiático entre 27 a 31 de janeiro.

“Assim como muitos Estados-membros do Sul Global, a China entende a importância de um ambiente multilateral como a ONU na promoção da cooperação global e do entendimento entre as nações”, disse o presidente da AGNU em entrevista à Xinhua.

“É importante ressaltar que as prioridades da China estão estreitamente alinhadas com as da minha presidência da Assembleia Geral das Nações Unidas, sendo essencial promover a paz, a prosperidade, o progresso e a sustentabilidade para todos”, disse ele.

Ao elogiar a China pelo seu “firme apoio ao sistema internacional, com a ONU no seu núcleo”, Francis também reafirmou seu compromisso em defender a Resolução 2758 da AGNU, um documento fundamental que esclarece a representação da China nas Nações Unidas.

“Como presidente da Assembleia Geral, continuo guiado pela resolução 2758 da Assembleia Geral, de 25 de outubro de 1971, ‘reconhecendo que os representantes do Governo da República Popular da China são os únicos representantes legais da China nas Nações Unidas’”, disse ele.

Francis destacou a necessidade crítica de adesão aos princípios e propósitos fundamentais da Carta das Nações Unidas, especialmente no atual clima de escalada de violência e conflitos em todo o mundo.

A China entende totalmente que as melhores soluções para esses desafios são através de processos liderados pela ONU e firmemente enraizados no multilateralismo, disse ele.

Como membro-permanente do Conselho de Segurança, a China continua sendo um firme defensor da resolução pacífica de disputas, defendendo os princípios da soberania, integridade territorial e independência, e o papel central do diálogo e da diplomacia, princípios que são fundamentais à Carta da ONU, segundo Francis.

Francis mencionou que o papel da China na facilitação do acordo de reconciliação entre a Arábia Saudita e a República Islâmica do Irã mostra ainda mais sua capacidade de promover a paz e a segurança através de uma mediação eficaz, avançando com os objetivos da Carta.

A China é “um líder no avanço do desenvolvimento sustentável”, disse Francis, mostrando muita aprovação à iniciativa da China para incentivar a comunidade internacional e “colocar o desenvolvimento de volta no topo da agenda global”.

Francis destacou a importância de melhorar a coerência das estratégias de desenvolvimento nos quadros globais, regionais e nacionais. Ele disse que a Iniciativa de Desenvolvimento Global (IDG) e a Iniciativa do Cinturão e Rota (ICR) da China “alcançaram resultados iniciais frutíferos para muitos países em desenvolvimento”.

Ele pediu à China que continue alinhando a IDG e a ICR com a agenda de desenvolvimento da ONU para promover um crescimento mais inclusivo em todo o mundo. “Acredito que a experiência da China no desenvolvimento socioeconômico é um modelo importante para outras nações em desenvolvimento”, disse ele.

“Por isso, acredito que o papel que a China continua mostrando liderança e influência consideráveis na defesa da ordem multilateral e na promoção do desenvolvimento sustentável”, disse ele.

Francis agradeceu os esforços de manutenção da paz da China. “Em nome da ONU, quero agradecer à China por este compromisso e dedicação inabaláveis aos Capacetes Azuis e, de forma mais ampla, à nossa busca coletiva pela paz”, disse ele.

Ele destacou o duplo papel da China na manutenção da paz, mencionando que o país é “um líder na prática da manutenção da paz, mas também desempenha um papel essencial na definição das políticas de manutenção da paz nas Nações Unidas”.

No que diz respeito à parceria entre a ONU e a China, Francis disse que o envolvimento e a colaboração da China com as Nações Unidas “continuam essenciais para fortalecer o multilateralismo e manter a cooperação internacional baseada nos princípios claramente articulados na Carta da ONU”.

Francis disse que a ONU está programada para realizar a Cúpula do Futuro em setembro, acrescentando que a expectativa sobre o papel da China é alta.

Conforme a ONU busca abordagens inovadoras para equilibrar a cooperação internacional e as soluções para questões globais, “muitos esperam que a China desempenhe um papel essencial na definição desse processo a fim de apoiar ainda mais o desenvolvimento igualitário e global”, disse Francis.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.