CEPAL divulga estimativas de crescimento da América Latina e Caribe para 2017

CEPAL divulga no início de agosto (3) seu relatório anual com estimativas de crescimento para 2017 na América Latina e no Caribe. O levantamento apresenta uma análise do desempenho econômico da região durante o primeiro semestre do ano e mostra as perspectivas para os próximos meses. Nessa edição, os capítulos temáticos da publicação examinarão os desafios para dinamizar o investimento e o crescimento.

Sede da CEPAL, em Santiago do Chile. Foto: Carlos Vera/CEPAL

Sede da CEPAL, em Santiago do Chile. Foto: Carlos Vera/CEPAL

A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL) divulgará no início de agosto (3) sua publicação anual com estimativas atualizadas sobre o crescimento da região em 2017. Documento será apresentado pela secretária-executiva do organismo regional, Alicia Bárcena, em coletiva de imprensa na sede da CEPAL, em Santiago, no Chile. Evento tem início às 12h de Brasília e será transmitido ao vivo pela internet.

Estudo Econômico da América Latina e do Caribe é um dos relatórios mais importantes da CEPAL. O levantamento analisa o desempenho econômico da região durante o primeiro semestre do ano e mostra as perspectivas para os próximos meses. Nessa edição, os capítulos temáticos do Estudo examinarão a dinâmica do ciclo econômico atual e os desafios para dinamizar o investimento e o crescimento.

Os meios de comunicação estão convidados a participar da coletiva de imprensa por videoconferência no Escritório da CEPAL no Brasil, às 12h de Brasília (SBS. Edifício BNDES, 17. Andar – Brasília – DF). Também é possível acompanhar a pelo site da Instituição.

Fonte: Site da ONU Brasil

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.