Brasil ficou em 1º lugar no ranking de crescimento da ONU Turismo na América do Sul em 2023

Turistas estrangeiros deixam R$ 34,5 bi por aqui em 2023

A ONU Turismo divulgou nesta segunda-feira (5) que o Brasil é o país da América do Sul com melhor performance na arrecadação de receitas deixadas por estrangeiros que visitam o país. A informação é reforçada pelo fato de os turistas internacionais terem deixado, na economia brasileira, R$ 34,5 bilhões apenas em 2023, um recorde histórico, e 1,5% acima da quantia arrecadada em 2014, ano em que se realizou a Copa do Mundo no Brasil.

O crescimento de 15% em relação ao período pré-pandemia coloca o país em 14º lugar entre as nações que apresentaram maior crescimento.

Do continente sul-americano, o Brasil é o único citado na lista de 20 países. Já na região das Américas aparece em segundo lugar, atrás apenas do México que ostenta a 10ª colocação. De acordo com o levantamento, o país com maior crescimento nas receitas deixadas por estrangeiros foi a Sérvia com a marca de 79%.

“A cada novo dado divulgado, comprovamos como as políticas implementadas pelo governo federal por meio do Ministério do Turismo, juntamente com a promoção do nosso país desenvolvida pela Embratur, têm gerado resultados concretos que beneficiam diretamente a economia brasileira. E o escritório da ONU Turismo que inauguramos em dezembro, no Rio de Janeiro, será determinante para melhorarmos ainda mais esses números em toda a região das Américas e Caribe”, avalia o ministro do Turismo, Celso Sabino.

Está previsto para quinta-feira (08.02), a realização de um evento no Rio de Janeiro para comemorar os dados de receitas deixadas por estrangeiros no Brasil em 2023. O resultado obtido – crescimento de 41% – é muito acima da meta estipulada pelo Plano Nacional de Turismo, inicialmente previsto para 8,58% na receita gerada pelo turismo internacional em 2023.

Compartilhe
Fabiana Ceyhan

Fabiana Ceyhan

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.