Covid-19:Boris Jonhson avisa que o Sistema de Saúde Britânico não aguentará um aumento repentino de casos.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou uma medida drástica em relação ao distanciamento social no Reino Unido em meio à pandemia de coronavírus e afirmou que se houver um aumento repentino do número de pessoas a recorrer aos hospitais, o sistema de saúde entrará em colapso e não será capaz de dar resposta a todas as necessidades.

Até agora, as pessoas eram aconselhadas a ficar em casa, mas isso não era obrigatório. Agora eles foram informados de que só podem sair para fins específicos listados ou enfrentar multas. As medidas alinham o Reino Unido com outros países europeus que sofreram muito com o COVID-19.

Falando ao vivo pela televisão na segunda-feira à noite, Boris Johnson disse que as pessoas “devem ficar em casa” para impedir que a doença se espalhe entre as famílias. Ele acrescentou que, a partir de agora, eles só podem sair de casa pelos seguintes “fins muito limitados”: fazer compras apenas para necessidades básicas, com a menor frequência possível: fazer uma forma de exercício uma vez por dia, sozinho ou com outros membros da família procurar qualquer necessidade médica, prestar assistência ou ajudar uma pessoa vulnerável. Ir e voltar para o trabalho, mas somente se for absolutamente necessário e trabalhar em casa não for possível

O primeiro-ministro alertou que, se muitas pessoas adoecerem ao mesmo tempo, o serviço de saúde do Reino Unido “não seria capaz de lidar com isso”, o que significa que mais pessoas morreriam. E por isso e

seria vital retardar a propagação do vírus, acrescentou. As pessoas não devem encontrar amigos ou familiares que moram em outro lugar, disse Johnson.

Multas podem ser impostas:

A polícia terá poderes para fazer cumprir as regras, aplicando multas e dispersando pessoas em grupo, disse o primeiro-ministro, que acrescentou mais medidas.

O país deve fechar todas as lojas que vendem bens não essenciais, bem como bibliotecas, academias, playgrounds e locais de culto. Reuniões de mais de duas pessoas estão sendo banidas, exceto com membros da mesma casa todos os eventos sociais, incluindo casamentos e batismos, estão sendo interrompidos, mas não os funerais. Parques permanecem abertos para exercícios, mas as reuniões serão dispersas

As medidas estarão sob revisão constante e poderão ser relaxadas em três semanas, se as evidências permitirem, disse o primeiro-ministro. A Grã-Bretanha foi criticada por não ser rigorosa o suficiente até agora.

O primeiro-ministro anunciou na sexta-feira que o Reino Unido fecharia bares, restaurantes, cinemas e teatros para impedir a propagação do vírus. Mas as pessoas ainda sairam e visitaram espaços abertos e resorts turísticos em grande número.

O governo britânico informou também , que 335 pacientes haviam morrido de coronavírus, um aumento de 54 em relação ao dia anterior. O número de casos positivos aumentou em quase 1.000 para 6.650. “O caminho a seguir é difícil, e ainda é verdade que muitas vidas se perderão tristemente”, disse Boris Johnson ao país “No entanto, também é verdade que existe um caminho claro”, acrescentou, dizendo que os recursos médicos estavam sendo aumentados e a pesquisa intensificada.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.