Após ser proibida de circular em Londres, Uber é banida na Alemanha

Esta é a segunda proibição em menos de um mês em país europeu

A Empresa de transporte Uber foi proibida de funcionar na Alemanha após decisão de tribunal que alegou que a empresa não estava permitida a funcionar com motoristas de carros alugados. Segundo a Justiça alemã, “do ponto de vista do passageiro, a Uber presta o serviço em si e, portanto, é um empreendedor” e deve cumprir as leis que regem o transporte de passageiros.

A empresa funcionava em sete cidades do país, incluindo a capital Berlim, através de empresas de aluguel e os motoristas licenciados por ela. Um porta-voz da Uber afirmou que o grupo vai “avaliar a decisão do tribunal e determinar os próximos passos para garantir que nossos serviços na Alemanha continuem”.A empresa ainda pode recorrer.

A Uber já foi proibida de circular em Londres.

NO mês de novembro, a agência Transport for London (TfL) não renovou a concessão da aplicação por entender que seriam necessárias diversas melhorias para aumentar a segurança dos passageiros. “Embora reconheçamos que o Uber fez melhorias, é inaceitável que tenha permitido que os passageiros entrem em carros com motoristas potencialmente sem licença e sem seguro”, disse o porta- voz da agência.

O Brasilia in Foco entrevistou alguns usuários do Uber em Brasília, que não quiseram se identificar,um deles considera o serviço de extrema importância, pois ajuda na assessibilidade dentro do Distrito Federal. Já outra usuária disse não se sentir completamente segura, e gostaria de contar com mais segurança. VM afirma que uma vez pegou um carro para ir ao aeroporto pela manhã e o motorista a convidou para sair em outra ocasião, a jovem afirma que o motorista era uns 20 anos mais velho que ela e que a situação foi desconfortável.

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.