“A Eslovênia conseguiu resistir muito bem à tempestade ” Entrevista com o embaixador da Eslovênia no Brasil Gorazd Renčelj

Entrevista concedida á jornalista Fabiana Ceyhan- A Eslovênia, é um pais membro da União Européia. English and Portuguese version.

Gorazd Renčelj- Embaixador da Eslovênia no Brasil

1Como está hoje a situação da Eslovênia em relação à Pandemia do Covid-19? Qual o número de casos?
 
A Eslovênia entrou no mês de maio com uma situação significativamente melhor. O primeiro sábado e domingo de maio foram os dois primeiros dias em dois meses, sem um único novo caso confirmado. Há um otimismo sólido, baseado em evidências crescentes de que a ação decisiva do governo e o autocontrole da população, valeram a pena. Até agora, a Eslovênia conseguiu resistir muito bem à tempestade e está em uma boa posição para relaxar gradualmente as medidas tomadas para controlar a propagação de infecções.
 
O número total de casos confirmados é de 1.445 (4 de maio), com o número de novos casos por dia aumentando lentamente. A pressão sobre os hospitais, incluindo as unidades de terapia intensiva, está enfraquecendo. O número de mortes relacionadas à covid-19 está abaixo de 100 no momento.
 
2- Quais são as medidas tomadas para combater a pandemia?


A Eslovênia declarou estado de pandemia em 12 de março e logo introduziu medidas fortes para garantir o isolamento social: o transporte público foi suspenso, foram impostas limitações à circulação de pessoas, as lojas (com exceção dos que vendem alimentos e outras necessidades) foram fechadas bem como locais culturais e instalações esportivas. Reuniões e eventos públicos foram suspensos. As escolas de todos os níveis estão fechadas desde 16 de março – é provável que elas reabram gradualmente a partir de meados de maio.
 
Em termos de sistema de saúde, a Eslovênia foi um dos primeiros a adotar uma ampla seleção e testes – cerca de 60.000 testes (na população de 2 milhões) foram realizados até o momento. No auge da pandemia, a maior parte dos equipamentos, especialmente máscaras e respiradores, que deveriam ser adquiridos nos mercados internacionais, onde a demanda excedia muito a oferta. Os próprios eslovenos também mostraram grande engenhosidade – em muitos casos e se auto-organizaram e começaram a produzir máscaras protetoras, por exemplo.
 
Agora entramos na próxima fase, com as medidas listadas acima sendo gradualmente relaxadas. Os efeitos estão sendo monitorados de perto, pois esse é um território desconhecido. No entanto, algumas lições aprendidas na fase anterior permanecem aplicáveis: na experiência eslovena, a comunicação clara, precisa e confiável em todos os níveis, baseada na ciência e nas evidências, continua sendo crucial para garantir o alto cumprimento e a eficácia das medidas adotadas.
 
3- Quais são as medidas econômicas para um plano pós-pandemia?


Até agora, o foco tem sido o apoio imediato a empresas e pessoas em dificuldades. Dois pacotes foram adotados com medidas no valor de cerca de 6 bilhões de euros. Elas abrangem medidas destinadas a manter o emprego, a impedir a deterioração das condições sociais, especialmente para os grupos mais vulneráveis ​​e a garantir liquidez dos negócios.
 
Em termos de medidas econômicas para o período pós-pandemia, o maior alívio para muitas empresas será a reabertura e o reinício de suas operações, que já começaram. No entanto, é claro que voltar aos negócios como de costume não será suficiente – muitas empresas perderam seus mercados, a produção caiu drasticamente em alguns casos, o desemprego está em ascensão e alguns setores, como o turismo, estão sob pressão.
 
O governo está, portanto, planejando uma reformulação fundamental do modelo socioeconômico – os sistemas tributário e previdenciário, por exemplo, precisarão de uma revisão completa. O primeiro-ministro indicou que novas soluções, como a renda básica universal, poderiam fazer parte do debate.


4- Quando o senhor acredita que o país estará aberto novamente para o turismo?


O setor de hospitalidade( turismo) está sendo reaberto gradualmente – bares e restaurantes já estão autorizados a operar seus terraços e espaços abertos. Se tudo der certo, os estabelecimentos menores poderão ser abertos para acomodação de hóspedes em meados de maio, enquanto o restante do setor de hospitalidade deverá abrir gradualmente na segunda quinzena de maio e junho.
 
Os primeiros turistas serão locais. No que diz respeito à chegada de hóspedes estrangeiros, serão necessárias certas condições para o restabelecimento do tráfego aéreo e a reabertura de fronteiras terrestres com os países vizinhos. As negociações iniciais com os países vizinhos já começaram. A reabertura de fronteiras, é claro, dependerá não apenas da situação na Eslovênia, mas também mais.

A Eslovênia é um dos iniciadores de uma discussão em toda a UE para coordenar o levantamento das restrições de viagens e acordar padrões comuns para o setor turístico no período pós-pandemia.
 
O setor de turismo e hospitalidade foi um dos primeiros setores que sentiu o impacto da epidemia. No lado positivo, no entanto, a Eslovênia como destino tem certas vantagens que parecem muito boas para as novas preferências esperadas dos turistas globais. Nós nos concentramos em menor escala, até mesmo no turismo, com forte ênfase em experiências verdes, ativas e saudáveis.

Estou certo de que em breve veremos convidados brasileiros retornando à Eslovênia e retomaremos as tendências positivas – no ano passado, o maior aumento entre todos os turistas estrangeiros na Eslovênia foi do Brasil, em torno de 20%.

Nós, da Embaixada, pretendemos usar esse tempo para divulgar as muitas opções para passar férias seguras e inesquecíveis na Eslovênia.
 
5- Fique à vontade para fazer considerações sobre a Eslovênia e sua relação com o Brasil.


Desde o estabelecimento das relações diplomáticas em 1992, a Eslovênia e o Brasil desfrutam de relações muito boas e amigáveis, que entraram em nova fase com a abertura de duas embaixadas – a Embaixada do Brasil em Ljubljana e a Eslovena aqui, em Brasília. De fato, nossos planos para comemorar 10 anos de nossa Embaixada em Brasília tiveram que ser adiados devido à covid-19.
Por outro lado, a crise destacou a dimensão pessoal de nossas relações – algo que muitas vezes passa despercebido pela a alta agenda da política e da diplomacia. É muito inspirador lembrar o alto grau de amizades, vínculos pessoais e parcerias comerciais, bem como colaborações em ciência, pesquisa e cultura que unem nossas nações.
Isso nos dá uma base sólida para concluir o trabalho já iniciado e explorar novas oportunidades. Estamos entusiasmados com o investimento anunciado da empresa eslovena Arex em Anápolis, Goiás, mas também com colaborações nas áreas de inteligência artificial, indústria aeroespacial e economia circular.

É importante ter os parceiros certos para aproveitar as oportunidades. A Câmara de Comércio Esloveno-Brasileira, no nosso caso, tem sido fundamental no trabalho de diplomacia econômica.
Uma das prioridades da nossa embaixada é também fortalecer a cooperação bilateral em ciência e pesquisa. Há espaço para melhorias nos arranjos interinstitucionais, mas também temos excelentes casos de talento e conhecimento dos dois países trabalhando nesta área. Por exemplo, a start-up Biolinker, com sede em São Paulo, líder em biologia sintética, cujo trabalho no desenvolvimento de um novo teste para a covid-19 – uma solução rápida e confiável para diagnósticos em massa – está atualmente na linha de frente da luta contra a covid-19 no Brasil.

English:

1-  Whats the situation today in slovenia related to COVID-19? how many cases ?

Slovenia has entered the month of May with significantly improved situation. The first Saturday and Sunday of May were the first two days in two months without a single new case confirmed.  There is solid optimism based on growing evidence that the decisive action by the government and self-restraint by the people have paid off. So far, Slovenia has managed to weather the storm very well and is in a good position to gradually relax measures taken to control the spread of infections.

Total number of confirmed cases is 1.445 (May 4th), with the number of new cases per day rising very slowly.  The pressure on hospitals, including the intensive care units is weakening. The number of deaths related to covid-19 is below 100 at the moment.

2-What measures have been taken to combat the pandemic?

Slovenia declared state of epidemic on March 12th and very soon introduced strong measures to ensure social isolation: public transport has been suspended, limitations to circulation of people have been imposed, shops (with the exception of those selling food and other necessities) have been closed as well as cultural venues and sport facilities. Public gatherings and events have been suspended. Schools at all levels have been closed since March 16th – it seems likely they will gradually re-open from mid-May onwards. 

In terms of health system, Slovenia has been one of the early adopters in wide screening and testing – close to 60.000 tests (in the population of 2 million) have been done to date. At the height of the epidemic the bulk of equipment, especially masks and respirators had to be procured on the international markets, where demand grossly exceeded the supply. Slovenians themselves also have shown great ingenuity – in many cases they self-organized and started producing protective masks, for example.

We have now entered the next phase, with measures listed above being gradually relaxed. The effects are being closely monitored as this is an unchartered territory. However, some lessons learned from the previous phase remain applicable: in Slovenian experience clear, accurate and reliable communication on all levels based on science and evidence remains crucial to ensure high compliance and effectiveness of the measures taken.

3what are the economic measures for a post-pandemic plan?

The focus thus far has been very much on the immediate support for struggling businesses and people. Two packages have been adopted with measures worth some 6 billion euro. They range from measures aimed to maintain employment, to prevent deteriorating social conditions, especially for the most vulnerable groups and to ensure liquidity of businesses. 

In terms of the economic measures for the post-pandemic period, the biggest relief to a lot of businesses will be re-opening and re-start of their operation which has already begun. However, it is clear that going back to business as usual will not suffice – a lot of companies have lost their markets, production has fallen dramatically in some cases, unemployment is on the rise and some sectors, such as tourism, are under a lot of pressure. 

The government is thus planning a fundamental rethinking of the socio-economic model – tax and social security systems, for example will need complete overhaul. The Prime Minister indicated that new solutions such as universal basic income could be part of the debate. 

4- When do you believe the country will be open to tourism again? 

The hospitality sector is gradually being reopened – bars and restaurants are already allowed to operate their terraces and open spaces. If all goes well, the smaller establishments could be opened for accommodation of guests as early as by the mid May, while the rest of the hospitality business is expected to gradually open in the second half of May and in June. 

The first guests will be domestic. In regard to arrival of foreign guests, certain conditions will need to be met for air traffic to be re-established and land borders with the neighboring countries to be re-opened. Initial talks with neighboring countries have started already. Re-opening of borders, of course, will not only depend on the situation in Slovenia, but wider. Slovenia is one of the initiators of an EU-wide discussion to coordinate lifting of travel restrictions and agree common standards for the tourist sector in the post pandemic period.

Tourism and hospitality sector was one of the first sectors that felt the impact of the epidemic. On the positive side, however, Slovenia as a destination has certain advantages which seem very good fit to the expected new preferences of global tourists. We have focused on smaller scale, even boutique tourism with strong emphasis on green, active and healthy experiences. 

I am sure that soon we will see Brazilian guests returning to Slovenia and positive trends resumed – last year the biggest increase among all foreign tourists in Slovenia was from Brazil at around 20%. We at the Embassy intend to use this time to spread the word about the many options to spend safe and unforgettable holiday in Slovenia.

5- Feel free to make comments about Slovenia and its relationship with Brazil

Since the establishment of the diplomatic relations in 1992 Slovenia and Brazil have enjoyed very good, friendly relations which entered new phase with the opening of two Embassies – the Brazilian Embassy in Ljubljana and the Slovenian one here, in Brasilia. In fact, our plans to celebrate 10 years of our Embassy in Brasilia had to be postponed due to covid-19. 

On the other hand the crisis highlighted the personal dimension of our relations – something that often goes less noticed against the high agenda of politics and diplomacy. It is very inspiring to be reminded of the myriad of friendships, personal links and business partnerships as well as collaborations in science, research and culture that bind our nations together.

This gives us very solid ground to conclude the work already started and explore new opportunities. We are excited about the announced investment of the Slovenian company Arex in Anapolis, Goias, but also about collaborations in the areas of artificial intelligence, aerospace industry and circular economy. It is important to have the right partners to seize opportunities. Slovenian-Brazilian Chamber of Commerce in our case, has been instrumental in the work in economic diplomacy.

One of the priorities of our Embassy is also to strengthen bilateral cooperation in science and research. There is room for improvement in inter-institutional arrangements, but we also have excellent cases of talent and knowledge from both countries working on the ground. For example, the Sao Paulo based start-up Biolinker, a leader in synthetic biology, whose work in developing a new test for covid-19 – a fast, reliable solution for mass diagnostics, is currently at the frontline of the fight against covid-19 in Brazil.

Entrevista concedida em Inglês e traduzida para o Português- Tradução não oficial de Halil Ceyhan



 

Jornalista por formação, Professora de Inglês (TEFL, Teaching English as a Foreigner Language). Estudou Media Studies na Goldsmiths University Of London e tem vasta experiência como Jornalista da área internacional, tradutora e professora de Inglês. Poliglota, já acompanhou a visita de vários presidentes estrangeiros ao Brasil. Morou e trabalhou 15 anos fora do país.